Páginas

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Confissões de Fé – Parte 9

Sei que o assunto deve parecer chato para alguns e até mesmo fora de moda. Mas é uma forma de manter a pureza da doutrina cristã.

O apóstolo Pedro nos diz para explicar a quem nos perguntar qual a razão da nossa esperança (1 Pedro 3. 15). A nossa confissão dá testemunho de nossa fé. E serve como defesa aos ataques de heresias das quais muitas igrejas tem se deixado dominar, devido a sua vulnerabilidade, por não possuir uma confissão de fé.

Este quadro é para auxiliar tanto a cristãos como os incrédulos a entende aquilo em que cremos. E útil também para corrigir pastores e mestres, caso eles estejam se desviando da fé.

Ajuda ainda a sinalizar aos cristãos a analisarem o que está sendo ensinado nas igrejas, como faziam os bereanos: “Os bereanos eram mais nobres do que os tessalonicenses, pois receberam a mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras, para ver se tudo era assim mesmo.” – (Atos 17. 11 - NVI).

Portanto é útil como meio de estudo, testemunho da fé, meio de manter a pureza da doutrina e defesa contra os ataques de heresias e outras religiões.


Breve Catecismo de Westminster

PERGUNTA 17: Qual foi o estado a que a queda reduziu o gênero humano?


RESPOSTA: A queda reduziu o gênero humano a um estado de pecado e miséria.


Referências: Rm 5.12.

PERGUNTA 18: Em que consiste o estado de pecado em que o homem caiu?

RESPOSTA: O estado de pecado em que o homem caiu consiste na culpa do primeiro pecado de Adão, na falta de retidão original e na corrupção de toda a sua natureza, o que ordinariamente de chama Pecado Original, juntamente com todas as transgressões atuais que procedem dele.

Referências: Rm 5.18-19; Ef 2.1-3; Rm 8.7-8; Sl 51.5.

Fibromialgia – Convivendo Com Os Sintomas (Prognóstico)

Seguindo na mesma direção da postagem: Depressão – A Interação Entre Medicamentos e Alimentação, do mês passado, hoje quero falar de outro problema que tortura mais de 4 milhões de pessoas no país. Calcula-se que atinja 3% das mulheres e 0,5% dos homens adultos.

O diagnóstico da doença é sempre clínico, já que não existem exames específicos para detectá-la. Trata-se da Fibromialgia. E hoje se sabe que há 18 pontos doloridos ligados à fibromialgia: nos ombros, articulações dos braços e pernas, próximo ao pescoço, nos glúteos e outros. Quando ao menos onze deles são identificados, é provável que se esteja diante de uma vítima. E além do sofrimento físico, pacientes com fibromialgia enfrentam a desconfiança de familiares e até de profissionais de saúde.

Fibromialgia é uma síndrome dolorosa crônica sem inflamação. O paciente sente dores no corpo inteiro. Muitas vezes é difícil dizer onde está doendo pois logo a dor aparece em outro local. Essa doença caracteriza-se por dores no corpo, fadiga e alterações no sono.

Apesar de atacar, sobretudo nas mulheres, pode ocorrer também em homens. Para caracterizar-se a doença, porém, é preciso haver dor por pelo menos três meses.


Não se sabe a causa, mas acredita-se que seu cérebro, pela diminuição da serotonina, perde a capacidade de regular a dor e os impulsos são interpretados erroneamente. Isso nos faz lembrar que cada vez que fixamos nossa atenção em alguma coisa, avivamos e treinamos as partes correspondentes do nosso cérebro. Esse é um ponto a levar em consideração.

Entre os sintomas da Fibromialgia estão as dores por todo o corpo durante longos períodos, com sensibilidade nas articulações, nos músculos, tendões e em outros tecidos moles. A fibromialgia está diretamente ligada também à fadiga, distúrbios do sono, dores de cabeça, depressão e ansiedade. Doentes queixam-se, ainda, de formigamento principalmente nas mãos, nos pés e no meio das costas; sensação de inchaço; alterações no funcionamento do intestino – ora está preso, ora apresenta diarréia.

Pesquisadores acreditam que a síndrome é causada por um descontrole na forma como o cérebro processa os sinais de dor.

Diante tudo isso, o que fazer para se conviver com a Fibromialgia, ou qual o seu prognóstico?

Quem apresenta quadros de dores crônicas precisa em seu organismo de proteína, ferro, cálcio e vitaminas do complexo B. O problema está em que os medicamentos costumam dificultar a absorção desses nutrientes. E a carência desses nutrientes pode estar relacionada ao aumento do desconforto generalizado.

Para maior eficácia, para o tratamento de fibromialgia é bom unir medicamentos e cuidados não medicamentosos. O foco é evitar a incapacidade física, minimizar os sintomas e melhorar a saúde de modo geral.

Portanto, para o tratamento pode-se incluir: O tratamento pode envolver: Fisioterapia, Programa de exercícios e preparo físico, Métodos para alívio de estresse, incluindo massagem leve e técnicas de relaxamento, Terapia cognitivo comportamental, Acupuntura e Alimentação.

Outros cuidados incluem: Seguir uma dieta bem balanceada, Evitar cafeína, Manter uma boa rotina de descanso para melhorar a qualidade do sono, Reduzir o estresse diário, Durma o suficiente para estar descansado no dia seguinte, Exercite-se regularmente, Mantenha um mesmo ritmo de vida e Preserve um estilo de vida saudável.


Em seu autorretrato 'A coluna quebrada', de 1944,
a artista mexicana Frida Kahlo expressa sua dor por
meio  dos pregos espalhados por todo o corpo

 Segue-se uma lista de alguns alimentos que devem fazer parte de quem sofre com fibomialgia:

Triptofano: Aminoácido antidepressivo que ajuda a sintetizar a serotonina. A serotonina ajuda a regular a sensação de dor, do humor e do sono. Fontes alimentares: ovos, carnes, leite, banana, iogurte, queijo, frutas secas, ômega 3 e chocolate.

Magnésio: Mineral que ajuda no relaxamento dos músculos. Função: síntese protéica, contractilidade muscular, excitação dos nervos. Fontes: cereais integrais, vegetais verdes escuros, nozes, damasco seco, gérmen de trigo, grãos de soja, carnes, leite.

Cálcio: Mineral importante para contração dos músculos. A falta de cálcio pode causar câimbras. Fontes: leite e derivados, coalhada, queijo, couve, brócolis, flocos de cereais, gergelim, amêndoas, castanha do Pará, farinha de soja.

Vitaminas do complexo B: É um conjunto formado por 7 vitaminas (B1, B2, B3, B5, B6, B9 E B12) com atuação em diversas vias metabólicas, entre elas a produção de energia, o funcionamento do sistema nervoso, função cognitiva, proteção do sistema cardiovascular e manutenção da saúde da pele, cabelos, olhos e sistema gastrointestinal. Sua carência pode causar falta de energia, fadiga, dor de cabeça, alterações na língua, perda de peso, queda de cabelo, alterações no humor e depressão. As vitaminas do complexo B são encontradas, principalmente, nos cereais, carnes e sementes, sendo interessante a sua suplementação quando, apenas pela alimentação, não é possível atingir as recomendações diárias desses nutrientes.

Vitamina E: Ajuda na prevenção de câimbras nas pernas, que costumam acontecer por causa do aumento da circulação sangüínea. Função: Potente antioxidante. Previne danos à membrana celular e aumenta a absorção de vitamina A, além de proteger as hemácias. Atua também na manutenção do tecido epitelial. Fontes: nozes, germe de trigo, carnes, amendoim, gema de ovo.

Manganês: Estimula atividades enzimáticas, tais como antioxidação e produção de energia. Fontes: cereais integrais, avelã, grãos de soja.

A Fibromialgia é uma doença crônica, não inflamatória, que se apresenta com dor difusa pelo corpo, contínua e persistente. Geralmente associada a outros sintomas tais como cansaço crônico e distúrbio de sono. Como toda doença crônica, o objetivo do tratamento é o controle da doença. A princípio não tem cura. Trata-se com atividade física continuada, e às vezes medicamentos devem ser mantidos por longo tempo.

Espero ter ajudado com este post. E fique atento para o próximo mês.

Até lá.


Leia também:





Atenção: Para adquirir quaisquer dos produtos citados, basta clicar nas palavras destacadas e você será direcionado direto para a loja.