Páginas

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

O Adeus A Russel Shedd

Fiel mensageiro da Palavra e incansável em seu ministério, o dr. Russell Phillip Shedd, teve uma vida de amor à Palavra de Deus.

Após percorrer todo o Brasil como conferencista e professor, pregador e palestrante em congressos, igrejas, seminários e faculdades de teologia, faleceu na madrugada de sábado, dia 26, aos 87 anos.

Muito se deve a ele pela literatura e o ensino teológico no Brasil.


Sejamos gratos a Deus pela forma maravilhosa com que Ele usou a vida, e a incansável dedicação desse seu servo.

É autor de vários livros, dentre os quais estão: A Justiça Social e a Interpretação da Bíblia, Disciplina na Igreja, Pecados e Pecadinhos (arranque as ervas daninhas do Jardim da fé), A Escatologia do Novo Testamento, A Solidariedade da Raça, Justificação, A Oração e o Preparode Líderes Cristãos, Fundamentos Bíblicos da Evangelização, Teologia do Desperdício, Criação e Graça: reflexão sobre as revelações de Deus, todos publicados pelas Edições Vida Nova ou pela Shedd Publicações. Além disso, é editor responsável pelos comentários da Bíblia Shedd / Bíblia Vida Nova e foi membro da comissão de tradutores para o português brasileiro da Bíblia NVI (Nova Versão Internacional), uma das mais reconhecidas traduções protestantes da Bíblia em português.

Teologicamente, Shedd era um batista, fazendo menção de que a salvação vem pela graça mediante a fé através da eleição e predestinação, além de ter sido um forte defensor da pregação expositiva. Defendeu a autoridade suprema e inspirada da Bíblia, sendo esta a única revelação fidedigna de Deus, pelo que postulava que "a Bíblia é a palavra de Deus". Como Batista, defendia os princípios doutrinários da denominação. É amplamente reconhecido sendo considerado com um dos nomes mais nobres da teologia protestante atual.


                       DÊ UMA BÍBLIA A QUEM VOCÊ AMA!




Versão João Ferreira de Almeida


Vida Nova





A mais nova e moderna Bíblia de estudo. Cada livro da Bíblia se abre com uma introdução desenvolvida pelo Dr. Russel Shedd, que inclui uma análise de seu conteúdo, discussões sobre sua autoria e um minucioso esboço da sua estrutura. Mais de 10 mil comentários em notas de rodapé do Dr. Russell Shedd, todos baseados no texto da segunda edição de Almeida Revista e Atualizada.

O Redentor - Soteriologia - E.T. - Parte 3


No mês passado vimos que o aspecto da encarnação envolve: 1) Cristo é o Messias que havia de vir; 2) Sua preexistência; 3) Sua humilhação; e 4) Seu nascimento virginal.

Mas como era de se esperar, houve negações a esta crença.

É isso que veremos este mês, a negação sobre o Nascimento Virginal de Cristo.




Tom Raine atacou essa doutrina em sua Obra: “A Era da Razão”. O mesmo fizeram Voltaire e os deístas. Assim também como as escolas racionalistas, que se colocaram ao lado dos que atacavam o Nascimento Virginal.

Em 1892, um professor alemão, de nome, Wuatwnburg, recusou aceitar o Credo simplesmente porque continha a doutrina do Nascimento Virginal. E desde então a Alemanha, a Inglaterra, e a América foram agitadas pela discussão deste assunto.

Portanto, as escolas evolucionistas são contrárias ao Nascimento Virginal. Até mesmo fraudes são realizadas para sustentar a teoria desses que são contrários a tal Doutrina.

Como, por exemplo, as edições dos Evangelhos, publicadas por Wellhausen, onde ele omite Mateus capítulos 1 ao 3 e o mesmo com Lucas1 ao 3.

A questão é que todos os manuscritos e versões não mutiladas contem esses capítulos.


Outro erudito, que também fraudeia os Evangelhos é Harnack. Ele mantém a genuinidade do livro de Lucas, porém, elimina alguns textos. Como o de Lucas 1.27, em que Maria é duas vezes chamada virgem. Lucas 1.34, em que Maria pergunta: “Como se fará isso, visto que não conheço varão?”. E elimina Lucas 1.35, onde se encontra a resposta do anjo.

A intenção de Harnack é construir uma história sem o sobrenatural. Mas na maioria dos manuscritos existem esses versículos. O que os faz ser contra as críticas de Harnack.

Não há dúvidas de que o propósito desses ataques é destruir, afinal, a crença na divindade de Cristo.

Mas de onde se tiram as bases para a negação do Nascimento Virginal de Cristo? Simplesmente da especulação subjetiva. Pois eles não creem na autoridade das Escrituras. O anti-supernaturalismo repudia todo o milagre.

Talvez você possa perguntar: É possível provar o Nascimento Virginal?

Sabe-se que os livros de Mateus e Lucas são escritos genuínos. Portanto, os Evangelhos de Mateus e Lucas servem como testemunho. Eles trazem como parte integrante de seus livros, os capítulos um e dois, o que serve para confirmar essa doutrina.

Deve-se levar também em consideração que o livro de Mateus tem a história contada do ponto de vista de José. Já o livro de Lucas apresenta o ponto de vista de Maria.

Mais uma vez surge outra pergunta: De onde vieram essas informações? Só havia duas pessoas no mundo que podiam fornecer tais informações, são elas: José e Maria.

Para concluirmos, digo que o Nascimento Virginal se ajusta e se adapta a tudo o que sabemos de Cristo. Portanto, não vamos arrancar esse fato de nossas Bíblias.

Até o próximo mês. 



BLACK FRIDAY 2016

Tenha acesso às ofertas dos maiores anunciantes do mercado online?  Clique Aqui!